Certificação do professor: isso importa?

E como. Quando buscamos um professor particular é importantíssimo que levemos em consideração as qualificações do profissional que procuramos contratar. O nível de conhecimento deste é, muitas vezes, determinado pelas certificações que possui.

O problema está na quantidade de certificados e instituições avaliadoras existentes no mercado. É preciso filtrar todos essas opções e destacar as mais importantes, sempre considerando o idioma que se deseja aprender e os objetivos a serem alcançados com esse aprendizado.

Tomando como exemplo o Inglês, são muitos os certificados que um professor pode (e deve) adquirir para comprovar sua formação. Além dos certificados de validade temporária como TOEFL (Test of English as a Foreign Language) e o TOEIC (Test of English for International Communication), que são recomendados para quem busca estudar em instituições estrangeiras por um período definido, existem certificações permanentes como o FCE (First Certificate in English), CAE (Certificate in Advanced English) e o CPE (Ceriticate of Proficiency in English), que são reconhecidas mundialmente e determinam o nível de proficiência do professor de uma perspectiva muito mais ampla.

É importante saber que existe uma instituição que controla esses certificados e suas aplicações, o Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas, ou CEFR. Os níveis são divididos entre:

Domínio pleno – C2
Proficiência operativa eficaz – C1
Usuário independente – B2
Intermediário – B1
Básico – A2
Iniciante – A1

De acordo com as determinações, para que um professor seja considerado apto para ensinar, é necessário que este possua certificações que estejam entre o C1 e o C2. Existem exceções, por isso é sempre importante definir suas prioridades antes de iniciar a pesquisa.

Para futuros alunos de Francês, vale a pena averiguar se o seu professor possui o DALF (Diploma Approfondi de Langue Française), que classifica o domínio do idioma entre C1 e C2, o que representa domínio pleno. Em Espanhol a principal certificação é o DELE (Diploma de Espanõl como Lengua Extranjera), para o ensino em Alemão deve-se buscar um professor que possua o TestDaF (Test Deutsch als Fremdsprache) e em Italiano uma das principais certificações é o PLIDA (Progetto Lingua Italiana Dante Alighieri).

A principal razão pela qual é importante que seu professor tenha essa bagagem comprovada é que a experiência com esse tipo de avaliação, sua estrutura e técnicas de preparação ajudarão você enquanto aluno a se preparar de forma mais rápida e eficiente. Mesmo que não seja sua intenção tirar os mesmos certificados, eles te oferecem a segurança necessária para saber que optou por um professor comprovadamente competente no idioma que deseja aprender.

Por isso, antes de contratar um professor busque sempre conhecê-lo a fundo e entender sua trajetória de imersão no idioma, esse processo sem dúvida valerá a pena. Bons estudos!

Fonte: Exame.com
Por: Fernanda Lopes